jornalpalavra

jornalpalavra

Concelho de Reguengos perde 15% dos alunos em 7 anos

Em sete anos letivos o Agrupamento de Escolas de Reguengos de Monsaraz (AERM) perdeu perto de 250 alunos.
A rede pública, do Pré-Escolar ao Ensino Secundário, no concelho de Reguengos de Monsaraz tinha, em setembro de 2014, perto de 1.700 estudantes, tendo o presente ano letivo terminado com apenas 1455 alunos.
A população estudantil irá continuar a diminuir nos próximos anos.
De acordo com a base de dados do PORDATA, as crianças até aos 14 anos de idade em 2020 eram menos 26% comparativamente com 2001, o que significa uma diminuição bastante acentuada dos residentes mais novos no concelho de Reguengos de Monsaraz. Em setembro, as atividades letivas vão começar com menos uma sala de Jardim de Infância. No pré-escolar, pertencente ao Estado, existiam na cidade cinco salas com capacidade para 25 crianças por sala, entre os três e os seis anos de idade, mas no próximo ano letivo irá ter apenas quatro salas de atividades em funcionamento. Nas freguesias do concelho existem algumas salas de Jardim de Infância em que o número de alunos é inferior a uma dezena.
No ensino básico e secundário o número de alunos também tem registado uma diminuição ao longo dos últimos anos. Muito dos alunos que frequentam estes níveis de ensino em Reguengos de Monsaraz são oriundos dos concelhos vizinhos, no entanto, um número considerável de estudantes residentes neste concelho frequenta o ensino secundário noutras localidades por a oferta educativa ser mais diversificada.
O Diretor do Agrupamento de Escolas de Reguengos de Monsaraz, António Ribeiro, refere que a oferta educativa no Agrupamento “é muito significativa por comparação com os outros municípios do Alentejo Central, excluindo Évora onde existem quatro agrupamentos de escolas”. Para além dos Cursos Científico Humanísticos existe a oferta de cursos profissionais; Cursos de Educação e Formação de Jovens (CEF); Programa Integrado de Educação e Formação (PIEF) e ainda os Percursos Curriculares Alternativos (PCA). O Professor António Ribeiro esclarece ainda que, relativamente ao Curso de Artes Visuais, “os alunos desta opção preferem Évora, podendo usufruir do curso em Reguengos de Monsaraz”. São muitos os motivos que justificam a diminuição de número dos alunos matriculados de ano para ano, mas a razão principal é a quebra da natalidade nos concelhos do interior de Portugal.
O arranque do próximo ano letivo no AERM está marcado para o dia 17 de setembro e por deliberação do Conselho Pedagógico os horários escolares mantem-se desfasados à semelhança do que aconteceu no ano transato.◄

  • Publicado no Jornal PALAVRA, edição de agosto 2021