jornalpalavra

jornalpalavra

“Temos que sair da primavera e não dar sinais errados para a Páscoa” diz Marcelo Rebelo de Sousa

O presidente da República anunciou mais um Estado de Emergência e afastou “cenários de crise política” e “de governos de Unidade de Salvação Nacional”, porque entende que as crises só servem para agravar a pandemia. Para Marcelo é tempo de “vencer crises e não de provocá-las”. O Estado de Emergência prolonga-se por mais quinze dias, mas é preciso contar desde já em “prosseguir março fora no mesmo caminho para não dar sinais errados para a Páscoa”. Ninguém quer regressar às semanas que vivemos nos tempos mais recentes e é urgente baixar os números de novos infetados, para menos de dois mil, para que baixem também os internamentos em enfermaria e em UCI para menos de um quarto, afirma o presidente. Os portugueses entenderam a necessidade deste confinamento e agora é necessário “sair da primavera sem o verão e o outono ameaçados” e para isso é necessário “assegurar que a Páscoa não é causa de um regresso ao que vivemos”. Marcelo apela para que as próximas semanas sejam de estudo para que o desconfinamento após a Páscoa “não seja um novo intervalo entre duas vagas”. Descer a propagação do vírus para níveis iguais aos da Europa, melhorando “os rastreios com mais testes e mais operacionais”. Quanto à vacinação, Marcelo reafirmou a vontade de punir os responsáveis pelos desvios e a urgência em continuar a vacinar.