O Seminário de Évora vai ser palco da apresentação de duas obras recentemente publicadas.”À luz do Apocalípse” de D. Manuel Madureira Dias, bispo resignatário do Algarve e “Leitura orante da Palavra de Deus” de Manuel José Marques. As duas obras têm edição do Secretariado Nacional de Pastoral Litúrgica e com Imprimatur oficial dado pelo Bispo D. José Cordeiro que estará presente na apresentação do dia 14 de setembro pelas 18h00.

O livro “À luz do Apocalípse tem prefácio do padre Mário Sousa, presidente da Associação Bíblica Portuguesa e o “Leitura Orante da Palavra de Deus” é prefaciado por D. Francisco José Senra, Arcebispo de Évora.

À luz do Apocalípse

A edição desta obra no particular contexto de pandemia em que vivemos, com todas as consequências pessoais, familiares, sociais, laborais e eclesiais que consigo traz, é um convite a renovar a experiência espiritual do vidente de Patmos e da sua comunidade. Arrebatado pelo Espírito (o que acontece no contexto celebrativo e comunitário do «dia do Senhor»: 1,10), João torna-se instrumento divino para que a comunidade, em dificuldades, possa ler e interpretar a sua situação à luz da Palavra (1,3). Algo semelhante, caro leitor, pode acontecer pela simplicidade profunda desta obra que hoje lhe chega às mãos: ela é uma mediação que permite entrar na compreensão de um livro que provoca e desinstala. Tal como aos discípulos de então, João, através do Sr. D. Manuel Madureira, vem recordar-nos que a história («o livro selado») está nas mãos de Deus, e que, embora seja necessário lutar contra as forças do Mal que às vezes parecem prevalecer, o Senhor terá sempre a última palavra. Ele é «o Alfa e o Ómega», o princípio e o fim último da história humana (21,6; 22,13).

 

D. Manuel Madureira Dias

(Tarouquela, 7 janeiro 1936)

Manuel Madureira Dias, nasceu a 7 de janeiro de 1936, em Tarouquela, concelho de Cinfães e foi baptizado a 11 de janeiro do mesmo ano, na terra natal.

Fez a escola primária na terra de origem e completou os estudos humanísticos e filosófico-teológicos nos Seminários da Arquidiocese de Évora.

Licenciou-se em Teologia, na Universidade Gregoriana de Roma; e, em Filosofia, na Universidade de Coimbra.

Foi ordenado Presbítero, para a diocese de Évora, em 25 de junho de 1961. Na diocese, para que fora ordenado, exerceu os cargos de Prefeito e Vice-Reitor do Seminário Maior, durante seis anos; foi Pároco, em Elvas, durante oito anos. Leccionou Teologia no Seminário Maior de Évora, e, mais tarde, no Instituto Superior de Teologia na mesma cidade.
Recebeu a ordenação episcopal em 19 de junho de 1988.

Entrou na diocese do Algarve, como bispo dessa diocese, em 10 de julho de 1988, onde exerceu o seu múnus pastoral até 27 de junho de 2004. Por necessidade de dar resposta a algumas urgências pastorais, publicou alguns pequenos livros de índole pastoral e catequética.

Por motivos de falta de saúde pediu dispensa do exercício da missão episcopal, aos sessenta e sete anos de idade. Desde então, reside em Évora, onde colabora com o Pároco local.

Leitura orante da Palavra de Deus

A Obra Leitura Orante da Palavra – Lectio Divina Ferial, da autoria de Manuel José Marques e edição do Secretariado Nacional de Liturgia (SNL), que apresento, tem uma génese que nos leva até às Comunidades da Igreja Apostólica e traz até nós, geração do Século XXI, a autenticidade da beleza gloriosa e sempre jovem do rosto salvador de Cristo, o belo e bom Pastor. É que as propostas apresentadas neste Livro, a fim de nos ajudar a orar a Palavra de Deus, pelo método da Lectio Divina, não partem de um estudo predominantemente com preocupações académicas e assente numa exegese rigorosamente histórico-crítica dos textos Bíblicos, desencarnada da vida quotidiana do nosso tempo. As propostas apresentadas por Manuel José Marques, sem prescindir do rigor exegético não enfermam da pobreza que advém, quando não são experimentadas e testadas pelo Povo de Deus. Como nas primeiras comunidades, estas propostas nasceram da necessidade das muitas comunidades pastoreadas pelo autor, quer na cidade de Reguengos de Monsaraz, quer nas aldeias do concelho. Inspirando-me no Papa Francisco, diria que são sugestões em que o autor exprime o cheiro das ovelhas que leva consigo como pastor, e com elas reparte o odor e o sabor de Cristo por ele experimentados, para que se saciem nas «fontes das águas vivas» (Jr 17, 13).

Manuel José Marques

Sacerdote, professor, jornalista e pintor, nasceu em Montemor-o-Novo em 1959. Estudou no Instituto Superior de Teologia de Évora, onde atualmente exerce as funções de docente, e na Universidade Pontifícia de Salamanca onde fez licenciatura e mestrado. Presentemente é pároco na Unidade Pastoral de Reguengos de Monsaraz.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *