Nos dias de hoje e, mais do que nunca, somos confrontados com a necessidade de nos destacarmos no mercado de trabalho. Além disso, muitas vezes também somos questionados quanto à nossa experiência e de que forma ocupamos os nossos tempos livres. Ora aqui está um bom trunfo! O escutismo é na sua definição um movimento internacional que tem por fim o aperfeiçoamento moral, intelectual e físico das crianças e dos jovens, pelo desenvolvimento do seu espírito cívico, mediante atividades ao ar livre. Desta forma podemos então salientar que o escutismo promove o desenvolvimento pessoal a nível individual e também na comunidade. A promessa escutista não traz um diploma que designa o grau académico, não confere habilitações possíveis de designar um posto de trabalho ou posição ocupada durante um dado período. Porém, é todo o percurso escutista aliado da interação com os outros e com a natureza que se desenvolvem capacidades, criamos tempo onde parece não existir, encontramos formas de ajudar que sozinhos seria muito mais difícil, e criamos sonhos e projetos através das experiências vividas. O escutismo enquanto método educativo não formal tem vantagens inigualáveis onde o melhor de tudo é que se vive e aprende sem se dar conta, sem ter um peso ou preocupação acrescida. Como em qualquer outra atividade nem tudo é perfeito, mas é nessas dificuldades e discordâncias que se torna possível desenvolver a capacidade de exposição, argumentação, promovendo uma gestão e coordenação de tempo, recursos e ainda o trabalho em equipa. Através das mais diversas atividades de voluntariado alia-se o progresso social e cívico destacando o CNE um movimento capaz de promover valores enquanto cidadãos, como a solidariedade e a responsabilidade pela sua comunidade. Em termos práticos, porque se considera uma mais valia ter um escuteiro na equipa? Um escuteiro procura ter brio naquilo que faz, gosta de estar presente e aperfeiçoar a sua técnica. Tem alguma facilidade em gerir o seu tempo ou pelo menos consegue arranjar sempre um tempo extra para aquilo que realmente é importante. Ao longo do percurso escutista desenvolveu aptidões através das experiências e partilhou-as com outros jovens, tornando essas mesmas experiências mais enriquecedoras. Um escuteiro tende a assumir a responsabilidade e compromisso em tudo aquilo que faz, honrando os valores em que acredita. Ser escuteiro não é tornar-se um Homem ou Mulher “feito”, é sim ser um Homem ou Mulher disposto a enfrentar e ultrapassar aquilo que a vida lhe apresente. ◄

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *